VEREADORES AINDA NÃO TEM RESPOSTA SOBRE TELHADO DA QUADRA DE PEDRA DO SINO.

em Cidade/Destaques por

Os vereadores de Carandaí ainda não sabem quais atitudes foram tomadas até o momento em relação à quadra de Pedra do Sino.

Na última reunião ordinária, vereadores tornaram a  debater o polêmico caso do telhado da quadra que veio ao chão ainda na antiga administração e até o momento ainda não foi recomposto.

Foi pedido a prefeitura municipal de Carandaí, através de requerimento uma cópia do processo referente ao desabamento da cobertura da quadra para um melhor esclarecimento do caso.

Na opinião do vereador Naman, o telhado deveria ser recomposto para um melhor uso do dinheiro público e atendimento a solicitação dos moradores do bairro e depois sim acionar a justiça para esclarecer as causas da queda e punir os responsáveis.

Já o vereador o vereador Valério, acredita que algo de errado aconteceu com a obra, uma vez que a mesma durou apenas três anos após ser concluída e que uma possível ação judicial esclareceria as causas da queda.

O vereador Geraldo Francisco também deu sua opinião e disse que deve haver uma reunião entre Ministério público, construtora, vereadores e prefeitura para entrar em um acordo amigavelmente.

Foi criticado ainda pelos vereadores, a falta de comunicação com a prefeitura, onde até o momento, os representantes do povo não sabem se há uma ação judicial ou mesmo uma cópia para analise da Câmara.

Na época do desabamento, foi respondido a nossa reportagem, ainda na administração do professor Pelé, que a prefeitura analisava hipótese de processar a empresa construtora do telhado, porém até o fechamento desta edição, praticamente três anos após o fato, nenhuma confirmação por parte da prefeitura foi enviada aos meios de imprensa ou mesmo a Câmara Municipal.

CLIQUE AQUI E CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

1 Comment

  1. “Processar ou não processar eis a questão ”
    Sabemos que estes trâmites burocráticos são lentos, logo a meu ver, deve-se cobrar se forma urgente a reparação do telhado, a prefeitura deve buscar meios de realizar esta obra. E ao mesmo tempo acionar a justiça em busca de esclarecimentos e se preciso for punir a empresa que realizou a obra.
    Quanto a falta de comunicação do executivo, cabe à casa tomar uma posição mais firme.
    Aproveito para comentar sobre uma matéria deste site onde relatava o baixo quórum de pessoas nas reuniões públicas. Bom, se Maomé não vai até a montanha, a montanha vai a Maomé.
    A Câmara deve sair do conforto e começar um projeto onde a cada mês deve percorrer as regiões da cidade, onde em reuniões (não extras, e sem dispesas, cada vereador vai no seu carro e não recebe nada a mais por isso) com a população dos bairros, poderiam ver de perto o que aflige os moradores daquela região, se aproximar do povo e acima de tudo, SAIR DA PROMESSA E REALMENTE RESOLVER. SER UMA CÂMARA ATIVA E NÃO PASSIVA. Tá aí a dica.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*